Divisão de Engenharia Aeronáutica - IEA

(Fernando Cesar Ventura Pereira)



O curso de engenharia aeronáutica corresponde aos três últimos anos de graduação do ITA, visando a formação de engenheiros nas áreas de Aerodinâmica, Mecânica do vôo, Propulsão, Estruturas e de Projetos. As matérias são específicas e opcionais dentro destas áreas, objetivando o desenvolvimento de projetos e suas aplicações no campo aeroespacial.

Objetivo das Atividades

  1. Formar engenheiros capazes de especificar, conceber, projetar, desenvolver, analisar, testar, otimizar, homologar, e gerir a fabricação, utilização, e manutenção de aeronaves, seus sistemas e sistemas afins;
  2. Ministar a educação e o ensino necessários à formação de mestres e doutores nas áreas de competência da divisão, e
  3. Promover o progresso da ciência e da tecnologia relacionados com as atividades aeroespaciais, através da pesquisa de assuntos de ponta.
Linhas de Pesquisa

  • Aeroelasticidade
  • Aerodinâmica Computacional
  • Aerodinâmica Experimental
  • Aerodinâmica do Regime Supersônico
  • Aerodinâmica via Aeroacústica
  • Elementos Finitos
  • Mecânica da Fratura e Fadiga
  • Princípios Variacionai da Mecânica do Contínuo
  • Propulsão Aeroespacial
  • Otimização Estrutural
  • Mecânica de Vôo
Principais Realizações em 1995

  • Número de matérias oferecidas à graduação e pós-graduação: 67
  • Número de trabalhos de graduação: 13
  • Número de iniciações científicas: 07
  • Número de artigos publicados: 14

Professores Homenageados: Bismarck e Belderrain

DIVISÃO DE ENGENHARIA AERONÁUTICA - IEA

Departamento de Aerodinâmica - IEAA
Departamento de Mecânica do Vôo e Orbital - IEAB
Departamento de Propulsão - IEAC
Departamento de Estruturas - IEAE
Departamento de Projetos - IEAP

Aguinaldo Prandini Ricieri, M. E. A. - IEAC
Airton Furloni, M. E. M. - IEME
Amilcar Porto Pimenta, M. E. A. - IEAC
Benedito Manoel Vieira, D. C. - IEFQ
Carlos de Moura Neto, D. C. - IEMT
Carlos Miguel Montestruque Vilchez, M. C. - IEAE
Cláudio Jorge Pinto Alves, D. C. - IEIT
Dario Rais Lopes, D. C. - IEIT
Duarte Lopes de Oliveira, M. C. - IEEA
Edson Luiz Zaparoli, D. C. - IEME
Eduardo Hisasi Yagyu - IEEE
Elder Moreira Hemerly - Ph. D. - IEEE
Ernesto Cordeiro Marujo, Ph. D. - IEMB
Evandro Tavares de Sousa, D. C. - IEET
Farhad Firoozmand, M. Sc. - IEAP
Gérson Kistermarcher. do Nascimento, Assessor Júridico do ITA
Gordiano de Faria Alvim Filho, D. C. - IEAC (In Memoriam)
Guido Fontegalant Pessotti - IEAE
Hazim Ali Al-Qureshi, Ph. D. - IEMT
José Henrique da Sousa Damiani, D. C. - IEMB
José Luiz Rocha Belderrain, M.C. - IEAB
José Roberto Barbosa, Ph. D. - IEME
Karl Heinz Kienitz, Dr. sc. techn - IEEE
Kátia Martins Ferreira - IEFH
Lígia Maria Soto Urbina, Ph. D. - IEMB
Lindolfo Araújo Moreira Filho, M. E. M. - IEMP
Luís Gonzaga Trabasso, Ph. D. - IEMP
Maher Nasr Bismarck-Nasr, Dr. ès Sc. - IEAE
Marcelo José dos Santos Lemos, Ph. D. - IEME
Márcio José do Prado Schmidt, Ph. D. - IEAC
Marcos Aurélio Ortega, D. C. - IEAA
Maurício Pazini Brandão, Ph. D. - IEAE
Nide Geraldo do Couto Ramos Fico Júnior, D. C. - IEAA
Olegário Perez, M. Sc. - IEAP
Paulo Afonso de Oliveira Soviero, Dr. d’Etat. - IEAA
Paulo Rizzi, Ph. D. - IEAE
Paulo Vitória Neto, D. C. - IEMT
Roberto da Mota Girardi, D. C. - IEAA
Rodolpho Vilhena de Moraes, D. C. - IEAB
Sandro da Silva Fernandes, D. C. - IEAB
Suely Galhardo de Castro Santana - IEFH




AER 96: "O" curso do ITA

(Fernando Cesar Ventura Pereira)

Quando fui encarregado pela Comissão da Revista de escrever sobre minha turma pareceu-me fácil, mas quando fiquei frente a frente com o computador, tomei ciência que seria uma tarefa muito mais difícil do que poderia imaginar.

Transmitir toda a atmosfera de companheirismo e amizade da turma para um leitor que não pôde estar conosco ao longo desses anos representou uma tarefa quase impossível, mas é fácil para qualquer um compreender que sentimentos tão marcantes e duradouros (sei que serão) nasceram e foram crescendo a medida que as experiências pelas quais passamos juntos foram nos transformando interiormente.

Hoje, próximos da Formatura, somos muito diferentes daqueles jovens que chegaram ao CTA no início de 1992. Ao longo desses cinco anos, foram muitas noites em claro, muitas provas e muita saudade dos nossos lares e entes queridos, sempre preocupados e torcendo por nós.

Caso o leitor tivesse visto a turma estudando junta numa madrugada fria, reunida em algum apê onde estivesse algum "iluminado" capaz de explicar as facetas mais incompreensíveis da matéria, fazendo provas de quatro horas (que pareciam infinitas), durante a semana de prova (que também parecia infinita), assistindo aulas quase surrealistas, bebendo "todas" em algum de nossos churrascos ou torcendo para o nosso time de futebol de salão no Torneio Interturmas, poderia facilmente perceber o espírito de companheirismo, que nasceu e se fortaleceu ao longo dos três anos do Curso Profissional.

Certas imagens e/ou expressões jamais sairão da lembrança de cada um de nós. Quem seria capaz de esquecer as piadinhas do Kawakami? E os discursos do Marçal? E imaginem os dois executando suas performances, simultaneamente, ao som do violão do Ramalho, num final de churrasco?

Realmente, talento e criatividade não faltam a esse pessoal, mas não eram os únicos. Havia o quarteto de cordas: Cadimi (violão), André ou Boi, para os ruminantes mais íntimos (violão), Ariño (violino) e Ramalho (violão, violino, caixinha de fósforo etc.). Contávamos também com a dupla humorística japonesa Kawakami e o multifacetado Satoro (que na realidade se chama Anselmo) com suas imitações precisas das quais não escapavam nem os professores.

E se considerarmos o "gagá" também como arte, podemos deixar um grande abraço para o Umberto, Ventura e Miglo, grandes mestres dessa manifestação artística do iteano.

Mudando para assuntos mais etílicos, não poderia deixar de registrar a grande disposição do pessoal para um churrasquinho.

Comemoramos juntos o fim das provas, o fim do bimestre, o fim do semestre, ou seja, tudo que acabasse e desta forma, todos se "acabavam" (na cerveja, é claro). Foram nessas confraternizações, que nossos artistas executavam suas performances, enquanto outros se encarregavam da difícil tarefa de não deixar a cerveja esquentar. Que dureza!

Para acompanhar, era servido churrasco e o inesquecível "patê" de atum do Otávio. Tudo isso ao som de muito frevo, que servia também para aliviar a saudade de nossos colegas de Pernambuco (Boi, Marçal e Otávio). Por falar em terra-natal alguém sabe onde fica Rolândia, além do Satoro?

Aqui deixamos um agradecimento especial para o Otávio, Ventura Cadimi e Satoro, que organizaram os churrascos. Valeu! Se não fossem vocês, jamais teríamos a oportunidade de ver o Kawakami dançando frevo!

E se passamos todo o ITA recebendo nota dos professores porque não aproveitar essa oportunidade e darmos notas a alguns mestres ? Para o Zaparoli e o José Barbosa, por terem prestigiado todos os nossos churrascos deixamos um L . Fica também na lembrança o "Tudu Pem, Pom Dia", dito no mais autêntico egípcio-português, com o qual o professor Bismarck nos recebia toda segunda-feira de manhã, para as duas primeiras aulas da semana. Seu eterno bom humor é L++. E o Maj. Belderrain, sempre compreensivo e muitos outros...

Mas nem tudo acabou em cerveja na Aer 96. Os torneios Interturmas, por exemplo, acabaram em troféu. Para o Bruno, Luciano (nosso eterno Chambinho, devido aos bons tratos que sofreu na infância), Betim, Camofo, Anselmo, Cadimi e também para a torcida ficou a honra de ter vencido o Interturmas duas vezes o que acabou se tornando um grande motivo de orgulho para toda a Aer 96.

O dia da formatura se encontra cada vez mais próximo e o coração já começa a apertar. Os sentimentos tornam-se confusos porque a alegria e a tristeza estão reunidas num só momento.

Infelizmente, a alegria que representa ser declarado engenheiro pelo ITA também significa o fim de desse convívio, dos papos animados no Barzinho do H8 ( o inesquecível "Mosca Frita" ) ou até mesmo do "bostejo" ( papo furado que nunca levou a lugar nenhum ) de fim de noite em algum apê mais animado.

De qualquer forma, a mudança mais significativa para nossas vidas não ocorre no dia da formatura, ocorreu ao longo de cinco anos, de forma gradual e profunda, quando deixamos a casa de nossos pais para conquistarmos nossa primeira grande vitória pessoal - o diploma do ITA.

Muito além da realização profissional, que o diploma possa representar, pudemos perceber que não foi o mundo que mudou nesses cinco anos; fomos nós que mudamos. Amadurecemos juntos. Daí vem essa amizade que celebraremos em todos os Sábados das Origens que Deus nos permitir.




Formandos 1996:


André Cadime de Godói
16/04/74 - Rio de Janeiro

André Luiz Fernandes de Andrade
23/04/75 - Rio de Janeiro

Anselmo Hikaru Katagi
15/08/72 - Rolândia-PR

Bruno Gomes Ribeiro
28/06/73 - Rio de Janeiro

Fernando Ariño Grau
04/12/72 - Rio de Janeiro

Fernando Cesar Ventura Pereira - Cap Av
19/10/65 - Rio de Janeiro

Fernando Lukas Miglorância
25/09/73 - São Paulo-SP

José Barbosa Júnior
15/08/72 - Salvador-BA

Luciano Toledo de Campos
16/04/73 - Sete Lagoas-MG

Marçal Pereira Barros
26/11/70 - Recife-PE

Marcus Vinícius da Costa Ramalho
22/05/74 - Uberlândia-MG

Otávio Batista de Carvalho Neto
01/02/73 - Recife-PE

Roberto Kiyofumi Kawakami
27/02/73 - São Paulo-SP

Rodrigo Duarte Torres
09/05/74 - Coronel Fabriciano-MG

Rodrigo Fernandes Domingos
29/11/72 - Belo Horizonte-MG

Umberto Grohmann Ortolan
04/12/74 - Salvador-BA

Turma Águia | Esquadrilha | Senta a Púa | www.davi.ws | ITA 96 | AFA
Última atualização: dezembro de 2008
Atenção: este site não guarda vínculo oficial com a FAB
Para informações, visite www.fab.mil.br